Dicas de Viagem

[CoronaCrise] 16 Dicas Poderosas da Equipe "Melhores Destinos" Sobre Trabalhar Home Office

Maicon Santtos
Escrito por Maicon Santtos em 26 de março de 2020
10 min de leitura
[CoronaCrise] 16 Dicas Poderosas da Equipe
BAIXE O MATERIAL GRATUITO

Descubra como usar a internet para ganhar dinheiro vendendo passagens aéreas

A Melhores Destinos é uma grande agência sem pretenção. 

Seus resultados são maiores que muitas agências com investimentos milionários. 

Mas por que um simples guia de viagem online tem essa imensa capacidade de vender em larga escala?

O site Melhores Destinos tem o objetivo de:

  • Divulgar promoções de passagens aéreas. 
  • e Produzir matérias e informações sobre viagens. 

O site é o número 1 e mais completo guia sobre viagens e turismo do Brasil. 

Agora vamos aos números da Melhores Destinos

  • + de 4 milhões de visitas únicas por mês
  • + de 17 milhões de visualizações de páginas 
  • + de 50% de crescimento de receita ao ano
  • + de 2 mil vendas para EUA em 2 dias
  • + de 700 vendas para Israel em 24 horas

Agora veja como a Equipe Melhores Destinos trabalha home office…

Escrito por: Monique Renne (25 · MAR · 2020) © Melhores Destinos

home office passou a fazer parte da vida de muita gente nos últimos dias.

O susto com o novo coronavírus e a obrigatoriedade de quarentena em muitas cidades mudou a rotina de trabalho de grande parte do mundo de uma hora para a outra.

Quem antes passava o dia pertinho do chefe, cheio de colegas, em meio a conversas, cafezinhos e abraços pode sentir um bocado a mudança radical.

Ainda que pareça impossível no começo, podemos garantir que não é difícil se acostumar.

Na verdade, muitas vezes é fácil até se apaixonar pelo trabalho em home office.

As vantagens são muitas, mas pontos negativos também podem pesar.

Saber como controlar o horário para não trabalhar demais (ou de menos), manter a cabeça no lugar para lidar com a possível solidão, aliar os afazeres domésticos em meio a metas a cumprir e ainda assim ser produtivo no trabalho são apenas alguns pontos de toda essa novidade.

Home office da Monique

Para te ajudar a se adaptar o mais rápido possível à nova realidade, a equipe do “Melhores Destinos” tem algumas dicas para você!

Apesar de termos um escritório que comporta todo mundo do site, no MD o mais comum (e altamente incentivado) é trabalhar em casa (ou de onde quiser).

Nossa equipe está espalhada em diferentes cidades do Brasil e do mundo, mas isso não nos impede de estar em constante contato.

Para isso, usamos diversos canais e sistemas online.

E quando bate aquela saudade de um abraço ou uma conversa olho no olho, fazemos uma reunião presencial com todo mundo para dar boas risadas.

Pode ser que esse momento demore um pouquinho agora, mas sabemos que ele irá chegar!

Tenha paciência e vamos juntos, mesmo que cada um em sua casa.

1. Com as crianças em home office

Denis Carvalho – Editor Chefe

No mês passado eu completei nove anos no Melhores Destinos e nove anos trabalhando à distância.

Após esse período não me imagino trabalhando de outra forma, longe da minha família, dos meus filhos e sem a mobilidade que o trabalho remoto te oferece.

Mas é claro que nem tudo são flores e quem está iniciando agora nessa modalidade de trabalho terá alguns desafios importantes a enfrentar.

Tenho a honra de ter sido o primeiro funcionário do MD, que até então era todo tocado pelo Leonardo Marques, nosso fundador.

No inicio nós dividíamos a postagem das promoções e a produção do conteúdo, mas depois assumi essa função quase exclusivamente enquanto o Leo se dedicava à administração do site e a novos projetos.

Nessa fase conversávamos pelo Google Talk e muito raramente por telefone.

Em casa, morava apenas com minha esposa e nossos gatos e foi fácil adaptar um cantinho para trabalhar.

É importante ter uma mesa adequada, uma boa cadeira que te deixe confortável e, é claro, internet de qualidade.

Para mim sempre funcionou ter um horário fixo, geralmente das 8 às 18 horas.

O maior desafio era parar no horário, já que é um imenso prazer trabalhar no Melhores Destinos e era comum estender por algumas horas noite a dentro.

Outra coisa: é preciso estabelecer limites com a família e amigos.

É comum pedirem favores a você quando trabalha em casa e tem mais liberdade e não há nada de errado em fazer algum, se seu trabalho permitir um horário flexível.

Mas saiba dizer não, afinal você está trabalhando e precisa se manter concentrado e produtivo.

Anos depois, a equipe cresceu e acabei mudando de função no MD.

Hoje quase não escrevo e passo o dia gerenciando o trabalho da equipe, criando pautas e editando os textos que são produzidos.

De um produtor de conteúdo autônomo passei a um líder de equipe e isso trouxe desafios:

  • organizar reuniões online,

  • orientar os demais editores,

  • organizar o trabalho de todos,

E coordenar projetos à distância requer um pouco mais de jogo de cintura e ferramentas adequadas.

Se é o seu caso, recomendo usar ferramentas como:

  • Slack

  • Trello

  • Basecamp

Que são as principais que usamos e funcionam bem.

Em casa, a família cresceu.

A chegada do primeiro filho, João Paulo, trouxe muita alegria e um pouco de caos à rotina.

Quando nasceu o Rafael, tivemos de nos mudar para uma casa maior, com um escritório próprio.

Hoje, com cinco e dois anos, eles se comportam bem e sabem quando o papai está trabalhando.

Como trabalhei muitos anos em redação, me concentro com facilidade e o barulho não me incomoda.

Então nem coloquei porta no escritório, eles sempre me visitam, muitas vezes ficam brincando ou assistindo a algum desenho por lá.

Para mim é a melhor parte de trabalhar em casa: posso vê-los crescendo e dar um abraço e um beijo em cada um sempre que der vontade.

E sempre dá!

2. Home office com planejamento e doguinhos para relaxar

Camille Panzera – Editora de Destinos

Já são alguns bons anos nesse ritmo de home office.

Estou acostumada com certo isolamento e, tenho certeza, sinto menos dificuldade do que quem está nas ruas diariamente, por exemplo, mas a situação atual merece um cuidado maior, principalmente por conta da enxurrada de notícias que recebemos todos os dias.

Vejo muitos pontos positivos no home office, como o fato de poder trabalhar em um horário flexível e no momento do dia em que me me sinto mais produtiva.

Quando acho importante faço uma pausa, mudo a atividade, brinco com os cachorros, pego uma bebida ou faço alguma tarefa que preciso em casa.

Aliado a isso tem o fato de que no home office não gasto nenhum tempo no deslocamento ou me arrumando – qualquer roupa funciona para o trabalho em casa.

 

Para mim, estabelecer atividades é sempre importante, assim como uma lista de prioridades.

Uma “ferramenta” que utilizo todos os dias, principalmente para tarefas mais simples e práticas, é o planner semanal, onde escrevo as tarefas que tenho programadas para a semana e deixo sempre ao lado do meu computador, assim posso ir marcando tudo aquilo que já fiz.

Também gosto muito de anotar compromissos na minha agenda que fica na nuvem, já que o computador e o celular ficam sincronizados e me avisam de compromissos.

Vale ir testando todas as diferentes maneiras e dicas de trabalhar em casa.

Não existe regra, cada um funciona de uma maneira e aos poucos vai entendendo melhor sobre sua própria produtividade.

Em tempos tão difíceis como o que estamos vivendo, é essencial pensar em outras coisas além de trabalho ou notícias maçantes.

Ler um livro com uma história fácil, assistir a um seriado que faça rir, cozinhar, fazer exercício e ouvir música são algumas das coisas que têm funcionado por aqui.

3. Dificuldade de se isolar

Monique Renne – Editora de Destinos

Acostumada a trabalhar no batidão do dia a dia de jornal, sem previsão alguma do que faria e onde estaria no dia seguinte, eu sofri um bocado com a adaptação ao home office.

Diferente de grande parte das pessoas, sempre fui acostumada ao corre corre desesperado e lidava até bem com isso.

Quando entrei no Melhores Destinos e passei a ter uma vida mais tranquila, demorei um bocado para baixar a adrenalina e me adaptar.

Morava em Brasília, onde é a sede do site, e eu podia escolher entre trabalhar em casa, no escritório ou em qualquer outro lugar.

Com o tempo fui descobrindo onde eu me concentrava com mais facilidade, o que nem sempre (ou quase nunca) era fácil.

Meus horários de trabalho ficaram loucos. Ao mesmo tempo que me mantinha ativa e presente durante o dia (quando parte da equipe trabalha) eu só conseguia escrever os guias quando não havia ninguém online.

Isso me levava a trabalhar de madrugada muitas vezes.

Foco e concentração não são qualidades que eu tenho.

Trabalho muito melhor sob pressão e não sei lidar com prazos longos e um ambiente sem cobranças (maldito vício de jornalista).

Aos poucos descobri que eu precisava me isolar o máximo possível de afazeres domésticos e também da internet (que me tomava muito tempo com futilidades).

Minha casa não servia pra mim.

Passei a trabalhar em outros lugares para não inventar coisas para fazer (como lavar a louça ou o banheiro).

Muitas vezes trabalhei até no clube!

E sob o sol eu escrevia um bocado!

Conto isso aqui para dizer que nem sempre é preciso se fechar em um ambiente com cara de escritório para trabalhar.

Você pode trabalhar em um jardim, diante da piscina, no sofá da sala com um bom filme passando.

A adaptação é muito pessoal e você não precisa seguir receitas.

Cada um se sente melhor de uma maneira.

E eu, apesar de trabalhar em home office há mais de 7 anos, ainda não me acostumei.

Hoje eu moro na Chapada Diamantina e tenho uma quantidade bem grande de “escritórios” para escolher.

Apesar da boa oferta, descobri que precisava mesmo era de isolamento.

Com isso, tomei conta de um escritório mais afastado (moro na pousada do meu marido) e tb coloquei uma mesa de trabalho no mezanino do quarto.

Assim não caio na tentação de conversar com ninguém.

Quando a pousada está vazia (como agora), aproveito para trabalhar no jardim.

É fácil?

Não mesmo!

Afinal, adoro bater um bom papo!

Em tempos de isolamento total, vou sentir bastante falta de dar um intervalo no trabalho para conversar com outros viajantes sobre qual o próximo destino.

Espero que o nosso seja em breve!

E vamos juntos!

4. Home office sem pijama

Sandro Kurovski – Editor de Conteúdo

Estou no Melhores Destinos há pouco tempo, mas o home office já faz parte da minha vida profissional há alguns anos.

Confesso que não sou nenhum exemplo, mas nesse tempo desenvolvi algumas “técnicas” (para não dizer manias) que ajudam a manter a produtividade e a saúde mental, já que trabalhar em casa pode ser bastante solitário.

Uma delas é a roupa.

Normalmente trabalho de bermuda e chinelo, não uso nada especial, mas evito ficar de pijama.

Trocar de roupa de manhã me ajuda a mudar a “chave mental” e deixar claro que estou entrando no horário de trabalho.

Levo o horário bastante a sério, faço pausas regulares e tenho hora certa para encerrar as atividades do dia, mesmo que não siga o horário comercial padrão.

Disciplina é fundamental, mas gosto de poder variar o local de trabalho.

Posso estar na mesa do escritório, no pufe do quarto, no sofá da sala ou até mesmo no gramado nas raras ocasiões em que o clima aqui do sul permite.

Um dos grandes desafios de trabalhar em casa, principalmente no início, é fazer sua família entender que você não está disponível o tempo todo.

Mas tê-los sempre por perto é um privilégio. Sem falar nos gatos, que ajudam a deixar o dia mais divertido.

Estar longe dos colegas e interagir apenas virtualmente pode ser um problema.

Acho que o contato pessoal faz falta, mas não se pode ter tudo.

5. O alarme para controlar o tempo

Thayana Alvarenga – Editora de Conteúdo

Cá entre nós: de início, fazer da nossa casa um escritório não é uma tarefa fácil.

É bem difícil tentar manter a concentração para escrever uma reportagem, por exemplo, enquanto o caminhão do lixo passa na rua, a campainha toca, o quintal do vizinho está em obras, ou simplesmente por saber que a sua cama está ali tentadoramente linda e confortável à disposição.

Para saber lidar com estas situações, é importante ter muita disciplina. 

No começo, não foi fácil, mas tudo é adaptação. Antes do MD eu trabalhava em redação e o costume era ter um ritmo mais frenético, então estranhava não ter aquele barulho de telefones tocando ao mesmo tempo, várias vozes conversando, o som das teclas enquanto os colegas nas mesas ao lado também escreviam algo…

Ainda assim, não levou muito tempo para eu ficar fera no home office.

Já sabia organizar mais facilmente minhas tarefas e horários, passei a participar normalmente de reuniões online, escrevia minhas reportagens e notícias, e etc… 

Há quem diga que trabalhar em casa é mais fácil pelo fato de estar na comodidade do seu lar.

Pode até ser verdade “em partes”, mas na prática não é beeeem assim, afinal, você tem tarefas a cumprir da mesma maneira – é diferente de estar em casa assistindo séries, por exemplo, sem nenhuma responsabilidade.

Eu gosto bastante de controlar o meu horário…

Isso inclui alarmes com horários fixos para fazer várias coisas desde a hora de acordar.

Assim consigo organizar o tempo das minhas atividades pessoais e de trabalho.

É muito importante obedecer aos ponteiros, seja para alavancar a sua produtividade como para respeitar um simples horário de almoço que pode ser um rápido lazer.

Isso vai fazer com que você tenha disciplina e, quando for produzir algo, aconteça de maneira ainda mais bem feita.

Hoje em dia, com mais de quatro anos de MD e no mesmo esquema de home office desde sempre, sinto que ficou muito mais fácil e produtivo trabalhar de casa.

Além disso, tem o fator flexibilidade, que também é muito incentivador. Por outro lado, às vezes dá saudade de todo o contato humano.

O que ajuda bastante a minimizar isso é aproveitar ferramentas virtuais para quebrar esse espaço.

Aqui no MD utilizamos muito bem o Slack.

Por meio dele conversamos em tempo real – e temos até um canal para falar de assuntos não relacionados ao trabalho.

Até que todos estes métodos juntos têm funcionado muito bem.

6. Um sonho que virou realidade

Thiago Ibrahim – Social Media

Desde que comecei a trabalhar em escritório, meu sonho sempre foi trabalhar de casa, pois enxergava o meu deslocamento casa-trabalho-casa (cerca de 4 horas) como um tempo improdutivo, por mais que eu procurasse preenchê-lo com leituras e consumo de podcasts.

Nos meus antigos empregos, sempre fui um defensor do home office, pelo menos parcial, e em papos com amigos sempre defendi a tese de que chegaria o dia em que um colapso logístico nos grandes centros urbanos acabaria por tornar essa atividade uma coisa necessária e até normal.

Então ganhei a oportunidade de fazer parte do time do Melhores Destinos e vi que home office fazia parte do modelo de negócio e da cultura da empresa.

Finalmente eu teria como comprovar que é possível produzir e ter qualidade de vida ao mesmo tempo.

É claro que trabalhar de casa exige muita disciplina e a consciência de que a comunicação com a equipe precisa estar em dia.

Se você não se cuidar, pode acabar sendo pouco produtivo e centralizador. Para auxiliar nisso, uma boa ferramenta de comunicação é essencial.

No caso da minha atividade no Melhores Destinos, as rotinas ajudam muito a manter a disciplina e a produtividade.

Mas é claro que cada atividade tem suas peculiaridades e trabalhar de casa sempre vai exigir principalmente compromisso e maturidade.

7. As vantagens do dia a dia

Daniel Gadelha – Editor de Conteúdo

Entrar no MD foi uma mudança muito grande para mim, já que em meu último emprego precisava vestir uniforme bem passado e estar com o cabelo sempre bem penteado.

Hoje, eu só preciso estar acordado, inspirado e conectado à internet.

Não preciso mais me deslocar, pegar trânsito, gastar com gasolina ou estacionamento.

Confesso que realizei um sonho ao poder trabalhar de casa e não me imagino trabalhando de outra forma.

É preciso ter bastante disciplina e foco, pois as distrações estão por todos os lados.

Às vezes, é difícil separar a hora de trabalhar da hora de descansar ou de fazer outras coisas.

Home office do Daniel

Para me manter produtivo, adotei o hábito de estabelecer as atividades que desejo cumprir ao longo do dia, o que tem funcionado.

Além disso, tento conscientizar os meus familiares de que o fato de eu estar em casa não significa que eu esteja disponível (não é tarefa fácil!).

8. Lista de prioridades

Rafael Castilho – Editor de Promoções

Desde que entrei no MD, há 9 meses, comecei a me adaptar com a rotina de home office.

Sempre trabalhei em empresas e raramente em casa.

A disciplina é fundamental e uma rotina deve ser seguida à risca, pois os desvios de atenção são constantes.

Todo dia pela manhã faço uma lista das prioridades e dos objetivos que devem ser atingidos naquele dia, como:

  • qual matéria é prioridade,
  • qual texto devo analisar,
  • qual pauta devo trabalhar nesta semana,
  • entre outros assuntos.

É claro que os afazeres familiares também entram na lista, como:

  • médico,
  • escola,
  • e atividades do filho; e tempo livre para você fazer uma academia ou ir ao mercado.

O momento que estamos passando hoje difere um pouco da rotina comum de home office, principalmente porque devemos evitar sair na rua e o filho não está na escola.

Mas acredito que, com disciplina, podemos dar atenção à criança, cuidar da casa e trabalhar bem.

9. Fácil adaptação

João Goldmeier – Editor de Promoções

Durante anos trabalhei da forma tradicional, em um escritório, com horário marcado e outros colegas trabalhando junto.

Ao entrar no Melhores Destinos, passei a trabalhar em casa e confesso que me adaptei bem à nova realidade.

Como tenho um horário fixo, a rotina se estabeleceu de maneira natural, sem sofrimento.

Rotina, pelo menos pra mim, é fundamental.

Estabelecer o horário de início e fim da jornada, conversar com os demais moradores de sua casa para explicar que aquele horário é de trabalho, ajuda a diminuir as interrupções. 

Mas não seja radical, se sua filha interromper o trabalho, aproveite para fazer uma pausa.

Vai ser bom para os dois.

10. Home office e autoconhecimento

Yenifer Contreras – Editora Mejores Destinos Chile

Trabalho em casa há um ano e meio.

Quando comecei a trabalhar, também tive a experiência de fazê-lo por cerca de um ano.

A primeira coisa que quero dizer é que não há receita.

Cada pessoa pode ter maneiras diferentes de ser produtiva, dependendo do tempo que está vivendo.

Tudo influencia: o espaço em que você vive naquele momento, sua situação emocional, quem o cerca, suas rotinas esportivas e até o clima.

Portanto, meu primeiro conselho é reconhecer o ambiente em que você se encontra e, com base nele, aplicar algumas estratégias.

A primeira é reconhecer suas melhores horas “produtivas e criativas”.

Essa descoberta não é possível pelo trabalho regular com horário estabelecido.

Quando você trabalha em casa, pode aprender que seu cérebro funciona melhor em determinados momentos.

No meu caso, quando tenho projetos, textos longos ou desafios que exigem muita concentração, funciono muito bem das 5h às 9h.

Então, quando tenho que fechar grandes trabalhos, reservo esse período.

A segunda estratégia é fazer pausas curtas e contínuas.

A casa tem muitas distrações.

Às vezes, nosso cérebro está funcionando, mas também pensando que você deve resolver algo em casa.

Abstrair tudo é quase impossível, especialmente se você estiver com crianças, animais de estimação e tarefas domésticas, pensando ainda mais em quarentena.

A maneira de resolver é não se sentir culpado por parar alguns minutos de vez em quando.

Talvez sua jornada de trabalho seja um pouco mais prolongada.

No entanto, se você tem toda a família em casa (e as preocupações que isso traz), para a saúde mental é bom que você reconheça essa necessidade e a atenda.

Isso deixará seu cérebro calmo e mais produtivo quando você retomar após o intervalo.

Se você acumular preocupação, definitivamente não produzirá.

A terceira é uma recomendação que oferece apoio aos amantes dos pijamas. Acorde cedo, tome banho e se vista.

Evite trabalhar na cama, porque você também vai quebrar as costas.

Essa é uma tentação para aqueles que não têm filhos, principalmente em dias frios.

No meu caso, não contribui.

Sair da cama, acordar com um banho e sentar-se com um café junto ao computador é o primeiro passo para começar um dia produtivo.

11. Separação entre casa e trabalho

Natanael Maia – Engenheiro de software

Já estou acostumado a trabalhar em casa há algum tempo e por isso já experimentei várias formas de trabalhar.

Dentre essas experiências todas, aquilo que mais deu resultado foi sempre manter uma certa separação entre meu ambiente pessoal (casa) e meu home office (trabalho).

Essa separação nem sempre precisou ser física, em um cômodo separado do restante da casa.

Basta ter uma mesa bem organizada, e com boa ergonomia, para que eu me sinta trabalhando.

Trabalhar no sofá, cama, mesa de jantar, etc, nunca deu certo pra mim.

Preciso do meu espaço profissional para entender aquela mudança de foco casa-trabalho.

Por outro lado, essa separação entre meu ambiente de trabalho do restante da casa não evita que eu tenha tarefas domésticas para fazer ao longo do dia.

Nunca achei importante resolver todas as tarefas domésticas antes de começar a trabalhar, ou deixar pra fazer qualquer coisa de casa depois do horário do trabalho.

O que prefiro é justamente usar algumas das tarefas da casa nos intervalos entre as tarefas do trabalho. Depois daquela reunião virtual, coloco roupas para lavar e depois vou preparar um café.

Volto a trabalhar e mais tarde no meu próximo intervalo, posso aproveitar para guardar as roupas, e assim vou conciliando tudo.

Home office do Natanael

Além disso, ao trabalhar em casa, o uso das ferramentas online é muito importante.

Essas ferramentas podem te ajudar a ser muito produtivo ou simplesmente arruinar toda a sua experiência de home office.

Ninguém aguenta trabalhar naquela tarefa que exige concentração e ficar recebendo mensagens no Whatsapp sem parar.

Existem várias outras ferramentas muito melhores e mais adequadas para o trabalho (Google Hangouts Meet, Slack, Zoom, Microsoft Teams, etc…).

Prefiro deixar o Whatsapp, Telegram e outros apenas para uso pessoal.

Para finalizar, não adianta nada montar aquele ambiente de home office super avançado e produtivo e não cuidar da saúde (física e mental).

Neste momento de isolamento social, é importante se exercitar dentro de casa nos intervalos do trabalho.

Youtube tem muitos vídeos com exercícios, existem aplicativos que podem ajudar, além do pessoal se exercitando em lives do Instagram.

Manter o corpo ativo vai nos ajudar a manter a saúde neste momento tão importante.

Essa saúde é fundamental para tudo!

12. Um escritório confortável

Henrique Garcia – Engenheiro de software

Em primeiro lugar, não desista nas primeiras tentativas!

Não é simples como parece.

É preciso insistir até que você se acostume com os estímulos externos e eles deixem de te chamar a atenção.

É um treino e nesse treino os principais pontos de atenção para mim foram: comida, local de trabalho e saúde mental.

Sobre a comida, eu sou o tipo de pessoa que, se deixar, fico comendo alguma coisa o dia inteiro.

Isso é ruim para a concentração, para a saúde e para a disposição.

Então o que eu fiz foi estabelecer horários fixos para os lanches e refeições: café às 8h, lanche às 10h, almoço às 13h, lanche às 16h.

Não deixo nenhum tipo de biscoito ou petiscos na mesa.

Fica tudo na cozinha. Com isso evito de ficar comendo o tempo todo. Para mim, funcionou.

Em relação ao local de trabalho, este item foi muito, muito, importante.

É essencial que o local de trabalho seja confortável por algumas horas.

Então nada de trabalhar o dia inteiro em cima da cama.

Eu investi um pouco nisso.

No entanto, em tempos de quarentena, provavelmente nem todo mundo terá um ambiente 100% adequado em casa, mas é possível se adaptar.

Procure uma cadeira confortável e tente se sentar de maneira correta.

Quem tiver um teclado e mouse sobressalente (daqueles baratinhos mesmo), vai ajudar.

Você pode, por exemplo, colocar o notebook numa altura mais adequada com a ajuda de livros ou qualquer outra coisa.

Quando possível, arrume um local com boa iluminação e menos barulho.

Home office do Henrique

Para quem faz muito home office, mesmo fora do período do coronavírus a saúde mental já é algo a ficar atento.

Então, neste período de quarentena, a atenção tem que ser redobrada.

A gente acaba às vezes ficando dias sem ouvir a própria voz. Então a gente tem que fazer algo pra tentar minimizar.

Quem puder fazer vídeo chamadas ou ligações comuns, faça.

Atividade física me ajuda demais também.

Há vários canais no YouTube com exercícios para serem feitos em casa (tem gente que não curte, mas é o que temos).

No meu caso, acordar um pouco mais cedo para fazer exercício logo pela manhã ajuda a me manter disposto para o próprio trabalho no resto do dia.

Fora do horário de trabalho, invista em muitas séries, filmes, leituras, hobbies diversos (tocar algum instrumento, escrever, cozinhar, jogos online, etc).

Outra pequena dica seria que eu, no geral, gosto de trabalhar com música, mas com tv desligada.

Isso ajuda também a evitar estímulos sonoros externos (vizinhos, quadras, carros).

Eu não tenho muita questão com o vestuário, trabalho de qualquer jeito.

13. Dificuldade de mudança de ambiente

Umberto Dissenha – Programador

Sempre trabalhei em diversos ambientes estressantes, multiculturais e dependendo de transporte público (e eu nem usava álcool gel).

A troca repentina para um ambiente 100% home office me trouxe uma calmaria que eu não estava acostumado.

Os primeiros meses foram complicados. A falta de rotina, aliada à solidão, me deixava mal e improdutivo.

Fiquei uns meses nessa tentando “me encontrar”.

Home office do Umberto

Como quem está lendo não tem esses meses todos para se adaptar, a principal dica é: crie uma rotina!

Acorde cedo, tome café, tome banho, se arrume (se para você isso for importante, para mim não é), dê comida ao gato e/ou ao cachorro, beije o filho e então comece a trabalhar.

O fato de ter feito todas essas tarefas primeiro, dá uma sensação de rotina que é muito importante para quem está trabalhando em casa.

Home office do Umberto

Home office do Umberto e o Manolo (in memorian)

Com relação à solidão que citei acima, isso é muito pessoal.

Eu normalmente faço atividades fora de casa que necessitem de relacionamento interpessoal, como academia, estádio de futebol, etc.

Como nesse período de exceção essas atividades estão fora de cogitação, tenho usado muito os aplicativos de mensagem.

Como muita gente está na mesma situação, as conversas estão menos “inúteis”, mais interessantes.

Esse bate papo está fazendo o papel do cafezinho na firma.

14. Rotina e casa arrumada

Carlos Filipe – Desenvolvedor de software

Trabalhar home office sempre teve muitas vantagens como:

  • não gastar horas no transito/transporte;
  • ficar mais perto da família;
  • ter mais flexibilidade no horário de trabalho;
  • e, atualmente, até ajuda a evitar a pegar um certo vírus…

Mas nunca achei uma tarefa fácil trabalhar de casa, pois existem muitas distrações que podem acabar tirando o foco do trabalho.

É preciso ter disciplina!

Mas como disciplina não é muito o meu forte, tento procurar outras maneiras para ajudar.

– Determinar uma rotina (e isso inclui as tarefas de casa também).

É importante definir a hora do trabalho, tanto para começar quanto para terminar, e o mesmo vale para definir os horários que você irá separar para fazer as tarefas de casa, como ir ao mercado, arrumar a casa, fazer/comprar comida, etc…

Isso impede que você fique o dia inteiro só trabalhando, como também não gaste tempo demais com as tarefas de casa atrapalhando o horário de trabalho.

– Manter a casa arrumada.

Parece que não tem nada a ver, mas às vezes a bagunça acaba tirando sua concentração, pois vira uma preocupação a mais para o seu cérebro.

– Verifique seu horário mais produtivo.

O home office pode proporcionar uma jornada de trabalho mais flexível.

Então, se você é mais produtivo de manhã cedo, porque não acordar mais cedo e já começar a trabalhar?

Ou se você é mais produtivo no fim do dia, use a manhã para resolver as coisas da casa e foque no trabalho em um horário mais tarde.

– Separar os horários de descanso.

Acho importante separar o horário para descansar e fazer o que gosta.

Desde jogar videogame, fazer exercícios, assistir tv ou ler um livro.

Como não vamos gastar tempo com o deslocamento para o trabalho, podemos utilizar esse tempo extra para atividades que irão melhorar nossa qualidade de vida.

– Separar um cantinho para trabalhar.

Evite trabalhar no sofá ou na cama.

Ter um lugar fixo para o trabalho ajuda tanto você quanto as outras pessoas da casa a saberem que você está trabalhando naquele momento.

Aqui no meu apartamento, transformei a pequena varanda de 2,40m x 1,05m no meu escritório.

E funciona bem.

Além de ter uma vista legal, quando tem barulho em casa é só fechar a porta da varanda e ficar no meu “aquário” de trabalho.

15. A técnica do pomodoro e o controle de tempo

Victor – Desenvolvedor de software

No inicio, foi meio complicado, principalmente pelo fato de não ficar em casa sozinho.

Às vezes, as pessoas vinham aqui no quarto me perguntar as coisas, mas aos poucos elas foram entendendo como funciona e tudo foi melhorando.

De tudo que eu tentei, o que mais me ajudou foram os seguintes pontos:

1. Ter uma rotina.

2. Ter disciplina para não perder o foco.

Um produto que utilizo bastante é a Técnica do Pomodoro.

Ela consiste na utilização de um cronômetro para dividir o trabalho em períodos de 25 minutos, separados por breves intervalos.

16. Disciplina com horários flexíveis

Rafa Torres – Comercial

Toda a minha vida profissional foi em um escritório das 08h às 18h/19h.

Confesso que a adaptação ao home office foi difícil, pois a rotina de levantar cedo, no mesmo horário, encarar trem lotado, trânsito, um ambiente de trabalho não muito agradável e toda a realidade que sabemos bem qual é, teimava em bater à porta, mas logo me libertei!

Home office requer disciplina e isso não necessariamente quer dizer que você tem que seguir um horário comercial, não!

Mas isso depende de empresa para empresa, é claro!

No meu caso, eu rendo muito mais na parte da tarde e noite, por isso, me dou ao privilégio de fazer minhas coisas particulares pela manhã, como levar meu filho para a escola e ir à academia (tô tentando, juro).

À tarde, mesmo com meu filho querendo brincar e tudo mais, é quando respondo os e-mails (se for muito urgente, respondo assim que levanto), faço reuniões e follow up com anunciantes.

De toda forma, consigo fazer tudo o que preciso em 3 a 4 horas e assim consigo tempo para outras tarefas e ainda brincar com meu filho.

Minha casa não é grande, mas consegui adaptar um local de trabalho na sala mesmo.

Assim que chego da academia, tomo meu banho e me visto para o trabalho. Nada de social.

Normalmente de camiseta, bermuda e chinelo.

Se precisar fazer uma conferência de vídeo, coloco uma camisa, igual jornal mesmo rs.

E você? Já trabalhava em home office?

Deixe as suas dicas nos comentários e ajude outros trabalhadores de primeira viagem.

Se você está começando agora, compartilha com a gente as suas dúvidas, dificuldades e, claro, sucessos na nova empreitada!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Este site faz uso de cookies para analisar informações e te oferecer uma melhor experiência em nosso site.